Voz da Experiência: #partiu Reino Unido!

Chegou setembro e, com ele, mais um ano letivo no Reino Unido! Até o final do mês, muitos novos sortudos começarão suas experiências de intercâmbio na terra da Rainha, enquanto nós, ex-alunos, ficamos aqui no Brasil sentindo uma inveja boa acompanhando as peripécias de vocês.

É claro que a gente torce para dar tudo certo! Mas, se nos permitem ser um pouquinho veteranos, escutem os nossos conselhos e sigam a #vozdaexperiência. Por mais que pareça aquele papo de vó preocupada, algumas dessas dicas – que coletamos através de alguns posts no nosso grupo alumni no facebook – podem realmente ajudá-los a escapar das ciladas e a refletir sobre os impactos do intercâmbio na sua vida durante e depois do UK. Então, bora lá!

know nothing
A gente não é tão arrogante a ponto de achar que vocês não sabem nada, inocentes. Mas fica a dica!

1) O tempo passa diferente

E isso não tem nada a ver com aqueles clichês do “aproveite ao máximo porque a vida é curta” (embora ele seja verdade, já te falaram isso mil vezes, né?). Prepare-se: são 4 horas de diferença entre o UK e o Brasil agora, então você vai sofrer um pouquinho com jetlag e vai ter que dar um jeito de conciliar os horários no Skype com a mamãe. As suas aulas vão ser mais curtas, talvez seus flatmates jantem às 6 da tarde, você às vezes vai perder o ônibus por questão de segundos e não adianta insistir: o pub não vai servir a saideira depois da 1h. Logo, o inverno vai chegar, você vai sair de casa às 4 da tarde e vai estar ES-CU-RO.

Mas quem disse que isso é ruim? Depois de organizar seu relógio biológico, pode tratar de se acostumar com a nova rotina. Fazer um plano de estudos ajuda a montar sua agenda individual (acredite, você vai ter muita coisa para pesquisar por conta própria). Se estiver em Londres, por exemplo, baixe o app do TFL para não ficar esperando no frio. Passe a combinar a balada às 19h (pelo menos você vai paquerar mais gente) e, no verão, curta o sol até às 22h. E se não der para acostumar a jantar cedo, pelo menos invista no chá das cinco 😉

joey
Sábias palavras, Joey!

2) Agora a gente entende o que é liberdade

Sim, você vai ser super independente, vai fazer o que der na telha e talvez a empolgação de estar em outro país seja tão grande a ponto de te deixar malucão. Mas ninguém precisa te lembrar de que você é bolsista e o seu contrato prevê uma série de responsabilidades, né? O bom é que o dia tem 24 horas e, assim, dá tempo de estudar, de festar, de viajar, de trabalhar e, se bobear, até de dormir…

back to the future
Na boa: se até o Marty McFly conseguiu voltar no tempo, nada é impossível em tempos de intercâmbio #filosofei

Na minha opinião, o mais importante que a gente leva dessa independência toda é entender que cuidar do próprio nariz não significa fazer tudo sozinho. Todas as universidades oferecem apoio psicológico e pedagógico aos intercambistas, e essa ajuda pode ser muito reconfortante nos momentos em que a gente fica sem rumo. Se deu ruim, procure o international office! Faça com que a experiência seja válida para você – e, se me permite, absorva um pouco do senso de humor britânico para rir de si mesmo quando tudo sair dos trilhos.

3) Team Brasil X Team UK

Esse talvez seja o grande dilema. Já ouvi gente reclamando que é muito difícil fazer amizade com os locais, mas também já vi brasileiro reclamando que ouvia os colegas falando português o tempo todo. E rixas à parte, a grande dificuldade é conseguir tempo suficiente para entrosar com todo mundo. Isso porque, como em qualquer situação da vida, vai ter gente chata, legal, indiferente. Cada amizade vai te acrescentar uma coisa: os britânicos vão te ensinar as gírias e melhorar seu sotaque, mas os brasileiros vão entender saudade sem você ter que explicar. Um traz o pão de queijo e o outro traz os scones. Ache a sua dose de equilíbrio entre se prender às raízes e se reinventar e seja feliz na integração! Afinal, se eu fizer post sem falar de networking, não sou eu, né? 😛

bandeiras brasil
Valeu Camila, Mariana e Ana Clara por manterem o Brazilian spirit durante seus intercâmbios no UK! 😉

4) Esse ano é para isso

Ficou na dúvida se puxa aquela matéria de nome engraçado? Puxe. Seu flatmate te chamou para uma festa estranha com gente esquisita e você não sabe se vai? . Te falaram para experimentar aquele restaurante que fica depois do fim do mundo e bateu preguiça? Respira fundo e pega um ônibus. Visite castelos, museus, praias, montanhas, o que for. Mas visite!

Se eu fosse compilar todos os programas imperdíveis que as pessoas vão te mandar fazer, você vai ter guias para, pelo menos, três anos. Fazer uma listinha com prioridades e guardar o seu dinheiro para coisas que você realmente quer fazer pode ser útil, mas deixe também o espaço para surpresas e decisões de última hora. Mas a verdade é que, não importa o milhão de coisas que você faça, você sempre vai morrer de saudades. E aí, meu amigo, não tem jeito: só outros ex-alunos para ouvir as suas lamentações sem reclamar! Boa viagem e bem vindo ao grupo 😉

doctor who
We’re here for you, guys. We feel your pain ❤

assinatura amanda

Anúncios

3 comentários

      • Imagina, a melhor parte é poder acompanhar as experiências de várias pessoas e perceber que temos muito em comum. Estou louca pra ir pra Londres em janeiro e vou ir acompanhando as dicas do pessoal por aqui (:
        (ah, e também tenho um blog pra falar das minhas experiências na terra de D. Pedro: 197dias.wordpress.com).

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s