Descobrindo programas alternativos no intercâmbio – Cambridge

Programa no Cambridge Film Festival - cinema ao ar livre sob o rio
Programa no Cambridge Film Festival – cinema ao ar livre sobre o rio

Essa é a primeira vez que escrevo sobre minha experiência no Reino Unido (especificamente em Cambridge) depois do intercâmbio pelo CsF. Fico muito feliz por esta iniciativa do blog! Em termos de indicação, recomendaria pra qualquer interessado que esteja aberto a oportunidades e faça da sua experiência a mais única possível.

Pra começar, aproveitar seu intercâmbio é uma tarefa bem facilitada pelos ingleses, motivada pela importância que eles dão para a variedade de atividades, interesses e áreas do conhecimento. Em contrapeso a um caráter introspectivo mais comum, a possibilidade de engajamento em clubes e sociedades diversas é bem celebrada. Se o que te move é o esporte, o engajamento político, a prática religiosa ou/e até mesmo um amor incondicional pelo mundo de Harry Potter, haverá um grupo de pessoas participante de atividades relacionadas e bem disposto a te envolver socialmente.

No meu caso, estava envolvido com as disciplinas de (BA) Film Studies e (BA) Film and Television Production na Anglia Ruskin University e, assim, envolvido também com as societies ligadas à promoção e produção de audiovisual. Se você for um estudioso da área ou até mesmo uma pessoa curiosa, envolver-se em grupos como esses só vai te trazer benefícios. Especificamente, cineastas, midiálogos e comunicadores podem aproveitar das milhares de informações compartilhadas nos grupos de e-mails e páginas de redes sociais sobre cursos, workshops e festivais que possam estar rolando proximamente. Programação Factual em História Natural, Conservação e Lugares Extremos; Projecionismo, 3D e as origens do cinema; além da Masterclass em Ética com o mestre Roger Graef são cursos que participei, que foram pérolas bem específicas entre muitas a serem encontradas nos fóruns dessas mesmas sociedades. A maioria dessas atividades podem ser incrementadoras de currículos além de contribuírem massivamente para o crescimento profissional em termos de compreensão do mercado internacional e até desenvolvimento de networking.

Outra possibilidade comum era a de poder participar de exibições exclusivas com direito a conversa com a equipe envolvida em filmes importantes para o cenário indie, como Indie Game: The Movie e o Sound City do Dave Grohl. As societies ainda informavam os participantes do Slackers Club, do cinema independente Arts Picturehouse de Cambridge. O clube faz uma exibição especial gratuita para seus membros uma vez por mês.

Para além disso, indicaria para qualquer fã de cinema, TV, vídeo ou outra mídias que inscreva-se nesse círculo de pessoas. Socialmente, trata-se de uma galera que mistura-se facilmente e que providenciaria uma experiência mais “fora da caixa”, principalmente no que tange uma percepção mais apurada da cultura inglesa. Em Cambridge, me envolvi ativamente em alguns festivais locais, que valem muito serem revisitados anualmente, como o Romsey Arts Festival, o Hotbed Arts Festival, a Strawberry Fair e o Cambridge Film Festival. Até hoje trabalho junto a este último, produzindo a animação do Sting (uma espécie de logo animado do festival) das mostras de cinema.

Mais além ainda, integrar-se com esses grupos significou para mim estabelecer uma relação mais próxima com Cambridge. As oportunidades que citei me abriram novos caminhos de iniciativa: De repente, por tabela, buscava com meus colegas sobre as mais obscuras pranks dos colleges, visitava os lugares mal-assombrados e frequentava as lojas de artigos raros com bom preço (para DVDs em Cambridge, não deixe de ir na FOPP!).

Livraria Assombrada da Sarah Key
Livraria Assombrada da Sarah Key
Fopp de Cambridge
Fopp de Cambridge

Cavar mais vai ser sempre interessante para acessar uma carga cultural mais completa do RU, fugindo um pouco dos estereótipos. Entrar literalmente nos subterrâneos dos quais os próprios ingleses falam sobre e descobrir mais dos seus valores e memorabilia pode, no fim das contas, aumentar muito a percepção sobre as fronteiras entre culturas e ainda sobre si mesmo. O que você realmente quer aprender sobre o Reino Unido? Faça da sua viagem, única!

assinatura_samuel

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s